Guy Debord – Livro a sociedade do espetáculo.

 “Revolução social contra uma sociedade de robôs.” Panfleto de Maio de 68.

Tudo pode ser transformado em espetáculo: Desde o prefeito João Dória vestido de gari, varrendo rua  até a utilização de modelos anoréxicas em propagandas.

Guy Debord era filósofo e diretor de cinema e se definia como um pensador independente. O livro foi lançado em 1967 e é considerado uma obra importantíssima de crítica a sociedade de consumo.
A sociedade capitalista é compreendida pelo autor como regida pelo espetáculo. As relações sociais são mediadas pelas imagens, que nada mais são que representações imediatas que adquirem autonomia, fazendo com que as pessoas sejam passivas a elas. Sob todas as formas particulares – informação ou propaganda e consumo direto de divertimentos, o espetáculo constitui o modelo atual da vida dominante em sociedade.
Podemos tomar como exemplo o prefeito de São Paulo Dória que numa tentativa de auto promoção se vestiu de gari e varreu as ruas de São Paulo (ou fingir que varria). Até mesmo o ato de limpar uma rua pode se transformar em um espetáculo nas mãos de um marketeiro eficiente.
A eliminação da personalidade acompanha fatalmente as condições da existência submetida às normas espetaculares, cada vez mais afastada da possibilidade de conhecer experiências autênticas e assim o indivíduo perde a sua capacidade crítica.
Nesse caso, podemos citar como exemplo os padrões de beleza, que pregam a magreza extrema como o símbolo do bonito. Dessa forma, um corpo doente passa a ser almejado por várias mulheres e homens, que fazem loucuras para se submeter aos valores estéticos sociais. Segundo o autor, a droga ajuda a pessoa a se conformar com essa organização das coisas.
O espetáculo é a ideologia predominante, manifestando em toda a sua plenitude o sistema social de empobrecimento, sujeição e negação do real. Diferente do passado, o espetáculo não exalta a força, a coragem, honra e a religião cristã, mas glorifica a mercadoria e utiliza o espetáculo como forma de apaziguamento e mediação social.
DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto. 1997.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s