Resenha: Livro A Morte de Ivan Ilitch – Leon Tolstoi

“E se na verdade minha vida, minha vida consciente, não foi o que devia ter sido?”

Tolstoi é considerado um dos maiores escritores de todos os tempos. O principal eixo temático de suas obras desenvolve-se pelo conflito entre ciência e a essência humana.
A novela foi publicada em 1870, durante o período em que o autor questionou a autoridade da Igreja Ortodoxa russa (que o excomungou em 1901), o direito à propriedade privada e até a imortalidade da alma. Posteriormente, Tolstoi dedicou-se a criticar a sociedade e o intelectualismo estéril. O referido livro é considerado por Nabokov, uma das obras máximas da literatura russa e por especialistas uma das mais perfeitas novelas.

Em A Morte de Ivan Ilitch, o autor questiona as escolhas cotidianas impostas pela sociedade. A novela versa sobre um sujeito de vida banal, que tentou encontrar respostas para sua vida quando ela já estava no final.

Ivan Ilitch era um burocrata, conselheiro da Corte de Apelação, casado e com três filhos. A narrativa começa com a sua morte e depois retrocede,abordando aspectos da sua vida. No dia de seu óbito, a postura de seus amigos não expressavam um sentimento sincero de condolência, pois discutiam a respeito de quem iria ocupar a vaga  aberta. Após seu falecimento cada um se sentia feliz por ter sido ele quem morreu. Os amigos mais próximos pensavam nos maçantíssimos deveres sociais que ainda teriam que cumprir.

Antes de morrer o protagonista viveu uma vida comum: era filho de um oficial, posteriormente tornou-se um burocrata com uma função sem muita complexidade, casado e com filhos. O mais importante para ele era cumprir regras sociais. Dentro desse contexto, Ivan Ilitch não saiu das conformidades impostas pela sociedade, fazendo tudo o que esperavam dele.

A escolha de Praskóvia Fiorodóvna como esposa se deu de forma utilitária. Não estava apaixonado pela moça, mas ela fazia jus à aprovação das pessoas que formavam a alta roda. Com o passar dos anos seu casamento se tornou um tanto desgastado quando sua esposa engravidou. Praskóvia culpava Ivan de todas as mazelas de suas vidas era rabugenta e fria, mas vinha de boa família, então o protagonista nunca questionou sua escolha. Percebemos uma crítica do autor em relação a falta de sentimento nas escolhas individuais.

Com uma vida extremamente desgastante e chata, Ivan Ilitch um dia sofre um acidente, batendo um de seus rins, porém não deu valor. Após procurar vários médicos e não conseguir resolver a questão a personagem começa entrar em processo de morte e assim precisou encarar sua vida. O caráter do protagonista começa a se alterar de frio e distante passa a ser passional.

Seu sofrimento provinha mais da moral do que do físico debilitado. Uma das frases de Ivan Ilitch demonstra bem isso: “E se na verdade minha vida, minha vida consciente, não foi o que devia ter sido?” Seu passado, sua família e sua existência não passou de mentiras.

Ivan Ilitch acreditava que vivia uma vida digna por cumprir leis e conveniências sociais ditadas pela elite, no entanto no leito de morte ele descobre o vazio e a tristeza, todos os valores que ele sempre prezou de nada serviam.
O autor nos legou a história de um burocrata com uma vida banal que teve que encarar a verdade com aproximação da morte.

Anúncios

3 comentários sobre “Resenha: Livro A Morte de Ivan Ilitch – Leon Tolstoi

  1. Pingback: Resenha livro: A Terra que um homem precisa – Leon Tolstoi | JuOrosco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s