Resenha Livro: Clube da luta – Chuck Palahniuk

  1. Você não fala do clube da luta.

  2. Você não fala do clube da luta.

  3. A luta só termina quando alguém disser “pare” ou desmaiar.

  4. Só duas pessoas em cada luta.

  5. Uma luta de cada vez.

  6. Sem camisa, sem sapatos.

  7. As lutas duram o tempo que for necessário.

  8. Se esta é sua primeira noite no clube da luta, você tem que lutar.

Clube da Luta é o primeiro livro de Chuck Palahniuk, é narrado do ponto de vista de um narrador sem nome. Lutando contra a sua insônia a personagem busca um sentido para sua vida em reuniões de apoio para as doenças, que ele finge ter. Ele vive uma vida comum com emprego, salário, apartamento com móveis caros, fazendo tudo aquilo, que esperam dele. Mas, um dia o conteúdo reprimido no inconsciente veio à tona.

O protagonista trabalha em uma empresa de seguros, e as vezes precisa conviver com imagens de acidentes, pois para as companhias as vezes fica mais barato indenizar a família da vítima, do que fazer recall do produto.

O narrador frequenta reuniões para pessoas com câncer nos testículos, no sangue, para gente com parasitas e muitas outras doenças. Nesses encontros ele consegue descarregar suas emoções e consegue dormir.

No entanto, em uma dessas reuniões ele encontra uma moça, que parece ser também impostora. Seu nome é Marla Singer. Com a presença da mulher ele não consegue chorar e sua insônia volta.

Nesse momento, conhecemos Tyler Durden, um rapaz de temperamento controlador e violento,  oposto do narrador. Ele trabalha como garçom em festas da elite, como projetista de filmes e fabricando sabonetes.

O apartamento do narrador misteriosamente pega fogo e ele perde tudo. Assim, o protagonista vai morar com Tyler em uma casa alugada sem nenhuma infra-estrutura. Nesse ínterim, Tyler também conhece Marla e começa a ter um caso com ela.

O narrador e Tyler começam a lutar em um estacionamento e assim o último cria o clube da luta, que funcionava em porões secretos dos bares da cidade. O clube cresce de maneira grandiosa, e vários outros são fundados em diversas cidades, sempre com as mesmas regras. Batendo e apanhando eles colocavam para fora suas mágoas e frustrações.

Nesse contexto, Tyler cria também o programa Desordem e Destruição, visando acabar com a civilização. Movidos por uma imensa raiva os participantes começam a por em prática o projeto, destruindo principalmente as bases do capitalismo.

Tyler leva o protagonista para trabalhar à noite como garçom. Em uma festa requintada, o amigo do narrador deixa um bilhete no quarto da anfitriã: “Fiz xixi em um dos seus perfumes”. Em outro momento eles urinam em sopas e em bebidas.

No meio da projeção de filmes infantis é inserido uma foto de um pênis. E assim o projeto vai sendo posto em prática, acabando com tudo o que eles consideram supérfluos. Os homens que contribuíam para o programa eram chamados de Macacos Espaciais e simplesmente cumpriam ordens.

Também começaram a roubar gorduras humanas retiradas de lipoaspiração para fabricar os sabonetes e vende-los caro para a elite.

A filosofia de Tyler era muito clara, só quando você está no fundo do poço, é que você enxerga o real sentido da vida. “Todos nós fomos criados vendo televisão para acreditar que um dia seríamos milionários, deuses do cinema e estrelas do rock. Mas nós não somos. Aos poucos vamos tomando consciência disso e estamos muito, muito revoltados”.

O narrador nos dá uma pista do porque do desejo de destruição. Todos eles foram criados sem pai. Possivelmente, a rebeldia e o desejo de desordem seja uma vingança contra Deus, que é a figura do grande pai, que esteve ausente.

O capitalismo é um sistema econômico que sobrevive a partir da venda de ilusões e desejos. Para que tudo possa funcionar, o ser humano deve ser levado a acreditar que se tornando um consumidor, tudo estará resolvido. E não estará. A personagem de Tyler é a prova disso. O ser humano é bem mais complexo, que isso.

Todos levamos uma existência ameaçada pelo sofrimento, que nos ameaça a partir da decadência física e também o nosso relacionamento com os outros seres humanos é fonte de muita tristeza. O clube da luta e o projeto Desordem e Destruição seriam uma fuga de sentimentos mal resolvidos.

Interessante é no posfacio do autor, em que ele conta que após o lançamento do livro, era abordado por garçons, que o questionava como ele sabia que nessas festas, eles faziam tudo isso? Mulheres perguntavam, aonde tinha clube da luta feminino. Homens de todos os lugares queriam saber como poderiam fazer um clube da luta.

O livro foi transformado em filme, com a direção de  David Fincher e Brad Pitt no papel de Tyler. O longa-metragem é muito fiel a obra.

 Fica a dica de um livro excepcional, que com certeza ficará com você por um bom tempo.

 

Clube da Luta
Chuck Palahniuk

Editora: Leya
Ano: 2012
Encadernação: brochura
Nº de Páginas: 272

 

 

 

 

Anúncios

3 comentários sobre “Resenha Livro: Clube da luta – Chuck Palahniuk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s