Resenha: Crônica de uma Morte Anunciada – Gabriel García Márquez

A violência e a morte é algo tão banal em nossa sociedade, que quando os irmãos Vicário falaram que iam matar Santiago Nasar ninguém fez nada para impedir. Alguns achavam que ele por ser rico nada poderia atingi-lo, outros que ele se viraria sozinho por ser caçador, que poderia ser um blefe dos irmãos e a grande maioria simplesmente não se importou. Santiago Nasar foi morto em praça pública perto de uma multidão de pessoas.

No começo dos anos 50, em uma cidade pequenina no norte da Colômbia, povoado de Sucre é onde se passa a narrativa. A história é verídica e Gabriel García Márquez morava no lugar e era uma criança, quando tudo aconteceu.

Ângela Vicário era uma moça pobre do povoado, considerada pelos habitantes uma pessoa meia boba. Um forasteiro endinheirado chegou à cidade a procura de uma esposa e se encantou pela jovem. Ela é obrigada pela família se casar. E uma festa de arromba é realizada.

De madrugada o rapaz chegou à casa dos sogros, trazendo consigo a esposa enrolada em uma toalha. Ele a devolve. Ela não era mais virgem. Interrogada pela família quem seria o culpado ela aponta: Santiago Nasar. Coube aos irmãos Pedro e Pablo vingarem a honra da família.

Pedro e Pablo pegam os facões de matar porcos e saem pela cidade procurando o rapaz. Praticamente, a cidade inteira fica sabendo e ninguém faz nada para impedir o crime. Alguns não acreditam nos irmãos, outros acham que Santiago conseguirá se defender e ainda que como rico nada poderia atingi-lo.

Santiago Nasar acordou cedo e foi ver a recepção do bispo no porto. Andou pelas ruas, conversou com pessoas, saudou alguns que encontrou no caminho e nenhum alerta recebeu. Somente quando entrou na casa da sua noiva, que ficou sabendo da ameaça e não entendeu nada. Saiu pela rua e nisso as pessoas se alvoroçaram em volta dele, para assistir sua morte.

Os irmãos Vicário o encontrou e vingaram a “honra” da irmã. O interessante é que não há nenhuma comprovação de que foi com Santiago Nasar, que Ângela Vicário perdeu a virgindade. Eles eram de classes sociais diferentes, portanto não frequentavam os mesmos lugares e nunca foram vistos juntos.

Dentro desse contexto, há uma série de hipóteses plausíveis. Desde que a jovem pode ter sido abusada na infância, como também pode ter acusado Santiago a fim de proteger alguém, de quem ela gostava.

O juiz, que julgou os irmãos Vicário, disse que os rapazes não queriam matar Santiago, pois quem quer cometer um crime não avisa a cidade inteira. No fundo eles queriam que o moço fugisse. É uma teoria que eu concordo, eles foram impelidos a isso por uma questão de orgulho e não de convicção.

García Márquez destaca a hipocrisia das pessoas, que julgavam uma virgindade perdida, mas não condenavam o abuso sexual de meninas pobres do povoado. Além disso, Santiago Nasar molestava sexualmente a filha de sua empregada e não foi por isso que ele morreu. A questão da virgindade só era importante para mulher, pois era costume os homens frequentarem prostíbulos desde a adolescência.

A cidade inteira é responsável pela morte do rapaz, pois a omissão também nos torna culpados.

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha: Crônica de uma Morte Anunciada – Gabriel García Márquez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s