Resenha livro: A Terra que um homem precisa – Leon Tolstoi

Nenhum texto alternativo automático disponível.

“Nascemos sem nada…

Partimos desta vida sem nada levar,

a não ser…sete palmos de terra”. Tolstoi

Resultado de imagem para tolstoi

Leon Tolstoi.

Nenhum texto alternativo automático disponível.O conto faz alusão a passagem bíblica: “Que proveito tem o homem em ganhar o mundo se ele perder a sua alma?” Mateus 26:16.

James Joyce em uma carta para sua filha  disse que essa narrativa era “a maior história da literatura mundial.”

O conto começa com uma jovem falando a respeito das benesses de morar na cidade. Enquanto é contestada por sua irmã que diz que a cidade é lugar do pecado e dos vícios. No inconsciente coletivo a cidade é o lugar do mundano, enquanto o campo de divino e Tolstoi fez uso dessa ideia, para começar a narrativa.

Pahón, o dono da casa, estava sentado perto da lareira, ouvindo a conversa das duas filhas. E disse:

“Os lavradores ocupados desde meninos no amanho da terra não tem tempo para pensar em tolices; só que nos consome é termos terra o bastante; se tivéssemos toda a terra que quero, nem o diabo seria capaz de me meter medo”.

O diabo que estava o tempo todo em um canto, próximo a eles, ouviu tudo e pensou: Muito bem, vamos lutar um com o outro; dou-te toda a terra que quiseres e há de ser por essa terra que te hei de vencer.

Pahón era servo de uma senhora, a era a proprietária da terra que ele cultivava. Ela havia contratado um feitor muito mal e o camponês passou o verão todo tendo problemas, pois cada vez que um cavalo fugia ele apanhava.

Em um determinado momento a dona da terra resolver vendê-la. Os camponeses se reuniram e decidiram comprá-la. Todos seriam donos e ela seria também cultivada por todos. Porém, o diabo não cessava de colocá-los em discórdia.

Pahón ficou com raiva porque os outros camponeses, agora proprietários, deixavam os animais escaparem para suas  terras e decidiu vender a sua parte e ir embora.

Dessa forma, comprou terras em outro lugar, pediu semente emprestada, semeou-as e estava prosperando. Um forasteiro visitou Pahón e lhe disse que em outros lugares havia terra em abundância, ele seria rico. O peito do camponês inflou de cobiça.

Pahón foi até o povoado, indicado pelo forasteiro, e falou com o chefe da aldeia, que disse, que ele poderia ficar com a terra que pudesse dar volta a pé, em um dia.

Todavia, se não voltasse de onde partira perderia o dinheiro investido e a terra.

Pahón começou a andar, passando mal, porém continuava na sua caminhada. Ele sentia-se aterrorizado com a ideia de morrer de fadiga. Apesar do medo da morte não conseguia parar. Ele corria mais e mais. Pahón estava determinado em ser rico.

Em um determinado momento, o camponês soltou um grito. Seu criado saiu correndo e viu que o sangue escorria-lhe pela boca. Pahón morreu.

O criado pegou uma pá e fez uma cova em que coubesse o seu senhor. Sete palmos de terra, ele não precisa de mais.

Para Tolstoi, o diabo encontrava-se sempre a espreita, para explorar os pontos fracos humanos e não era só nas cidades que ele atuava. É possível ser ganancioso em qualquer lugar e em qualquer situação.

Caso você queira ler outra resenha de um livro de Tolstoi temos “A morte de Ivan Ilitch”: https://juorosco.blog/2017/02/17/resenha-livro-a-morte-de-ivan-ilitch-leon-tolstoi/

Um pouco da biografia de Tolstoi:

 

 

Anúncios

11 comentários sobre “Resenha livro: A Terra que um homem precisa – Leon Tolstoi

  1. Tuas resenhas sempreme leva para dentro seja do livro seja do filme ou conto ou série. Não conheço esse conto doTolstoi ou não lembro, o que importa é que fui instigado a ler esse escritor essencial. Teus posts preservam e muito a memória da cultura. Obrigado. O meu abraço.

    Curtir

  2. Pingback: Resenha livro: A Terra que um homem precisa – Leon Tolstoi – segundaguerraemplstico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s