Resenha Filme: Adeus, Meninos- Louis Malle

O filme começa com o garoto Julien Quentin se despedindo de sua mãe, para embarcar no trem rumo a Fontainbleau, onde ficava o colégio interno católico.

Resultado de imagem para Au Revoir les Enfants louis malle

Julien se despede da mãe. Imagem de divulgação.

A narrativa se passa em 1944, na França ocupada pelos nazistas. A história é real e aconteceu com o diretor Louis Malle, que na verdade se chama Julien Quentin.

O filme mostra que a vida seguia normalmente, apesar da ocupação nazista. A elite francesa tinha alguns percalços, devido a guerra, como por exemplo, falta de comida, toques de recolher, mas nada que os afetassem grandemente.

Na escola católica as aulas transcorriam normalmente, até que Julien vê a chegada de novos alunos, dentre eles Jean Bonnet, de quem se torna amigo.

Resultado de imagem para Au Revoir les Enfants louis malle

Julien e Jean se perdem na florestas e são resgatados por soldados nazistas. Imagem de divulgação.

O novo estudante é um garoto muito inteligente, bom em matemática e que toca piano muito bem, suscitando o sentimento de competição em Julien.

Imagem relacionada

Jean Bonnet era um garoto muito inteligente. Imagem de divulgação.

Jean Bonnet tinha hábitos estranhos, não comia carne de porco e fazia umas orações esquisitas sexta-feira à noite. Não recebia visitas da família e não falava a respeito dela. Dizia-se oriundo de Marselha, mas não tinha sotaque de lá.

Julien interroga-o sobre onde ele nasceu, e a resposta: “Se eu falar, você não saberia onde fica”. Depois questiona, onde estão seus pais? “Em uma zona livre…na verdade eu não sei.”

O protagonista fica intrigado e vasculha as coisas do amigo, descobrindo que Jean Bonnet, na verdade é Jean Kilpinstein. Ele confirma a sua desconfiança, o menino é judeu.

A princípio, parece que Julien é alienado da realidade, pois não sabe direito o que é um judeu e pergunta para seu irmão. Parece que a condição econômica dele o protege do externo.

No entanto, tem uma cena em que Julien urina na cama. Isso representa que psicologicamente as coisas não andavam bem.

Em uma almoço, que Jean Bonnet participa, vemos que Julien e o irmão questionam a respeito do pai e a mãe desconversa, dando uma desculpa qualquer. Algum conflito sério estava oculto. Talvez o pai estivesse envolvido com o nazismo, ou fazia negócios escusos. O filme não deixa claro.

A fotografia com tons cinzas, azulados e esverdeados corroboram o ambiente cheio de segredos e meias palavras.

Na escola havia um ajudante de cozinha chamado Joseph. Ele fornecia cigarros aos meninos em troca de itens que revendia no mercado negro. Ele reclamava bastante do seu trabalho e quando um professor chama a sua atenção, por ele estar brincando com os alunos no recreio. Ele diz: “Joseph vai para a casinha! É assim que vocês me tratam!”

Essa cena dá um aperto no coração, pois uma pessoa ressentida com a sua condição e com o tratamento recebido, normalmente parte para a vingança. E não deu outra!

Joseph é pego pelos padres traficando mercadorias e é demitido do colégio.  E na cena seguinte, a Gestapo invade a escola a procura dos garotos judeus escondidos.

Joseph aparece junto aos nazistas e quando Julien o questiona sobre o que ele fez, ele diz: “Não se preocupa, são só judeus.”

Em um cena terrível, um colaborador francês está questionando o professor sobre o aluno Jean Kilpenstein, e em um ato falho Julien olha para o estudante, que é identificado na hora.

Jean Bonnet diz ao amigo para ficar tranquilo, pois ele seria pego, de qualquer maneira. É verdade, pois os nazistas mandavam os meninos abaixarem as calças, para ver quem era circuncidado ou não.

Todos os alunos são colocados no pátio e passam os alunos judeus e o Padre Jean. Todos os estudantes dizem: Adeus!

Bonnet, Negus e Dupré morreram em Auschwitz e o Padre Jean no campo de Mauthausen.

Imagem relacionada

Os meninos dão adeus aos amigos e ao padre. Imagem de divulgação.

https://www.youtube.com/watch?v=rqLmQDoUPqI

Anúncios

7 comentários sobre “Resenha Filme: Adeus, Meninos- Louis Malle

  1. Pingback: Resenha Filme: Adeus, Meninos- Louis Malle – segundaguerraemplstico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s