Resenha filme: O Filho da Noiva – Juan José Campanella

O Filho da Noiva é uma comédia dramática dirigida por Juan José Campanella. A narrativa versa a respeito dos conflitos existenciais do protagonista – Rafael Belvedere.

Rafael Belvedere tem 42 anos, administra o restaurante dos pais, divorciado, tem uma filha pequena e uma namorada. É importante salientar que ele tem uma vida infeliz.

A imagem pode conter: 1 pessoa, fumando e close-up

Ricardo Darín como Rafael Benvedere. Ele utiliza o celular como um escudo contra a aproximação das pessoas.

Sua filha fala sobre suas apresentações e ele não dá a mínima, com a ex-mulher o relacionamento é ruim e sua namorada é uma figura praticamente inexistente.

Sua mãe – Norma encontra-se em uma casa de repouso, pois sofre de mal de Alzheimer e seu pai – Nino à visita todos os dias, nutrindo muita paixão por ela, mesmo depois de 40 anos de casados.

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up

Nino visita todos os dias a esposa Norma. Excelente atuação de Norma Aleandro.

Em um dia comum aparece no restaurante seu amigo de infância Juan Carlos. No início do filme, os vemos brincando, quando Rafael foge dos garotos e veste a fantasia do Zorro.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, chapéu, céu, atividades ao ar livre e natureza

O Zorro é uma figura que marcará a infância de Rafael.

Juan Carlos não é reconhecido pelo protagonista no início, mas acaba se inserindo na vida dele, mesmo sem o seu consentimento.

Esses dois fatos são muito importantes para compreendermos o desenrolar da história.

O amigo está inserido na narrativa para nos mostrar como é fácil perder as pessoas que amamos, visto que ele perdeu a esposa e a filha.

Em um dia comum Rafael sofre um infarto. Sem nenhum aviso ele vai parar na UTI de um hospital.

Depois de 15 dias em coma, ele acorda e vê sua namorada Natália. Ele diz à ela que tem vontade de ir à merda. Depois revela que deseja ir morar no México.

De uma forma inconsciente ele quer retornar à fantasia infantil, incorporando o herói Zorro, por isso o desejo de viver no México.

Quando ele passa ele cai sobre o retrato da mãe, que é o maior de todos. Isso demonstra que ele ainda nutria uma relação infantil com ela, dificultando a entrada de outras mulheres em sua vida.

Possivelmente, a causa da dificuldade de qualquer aproximação afetiva com as mulheres advenha desse apego infantil que ele nutre com a mãe (apego infantil é diferente de amar a mãe como um adulto).

Também é importante dizer que ele tinha um sentimento de culpa em relação à ela, por não ter terminado a faculdade de direito, que era o sonho de Norma.

Rafael decide não tocar mais o restaurante e seu pai, Nino com muita sensatez diz a ele, que essa era a vida dele e de Norma e não do filho.

Nino diz ao filho que quer casar-se no religioso com a esposa, pois esse era o único desejo dela.

No entanto, eles vão encontrar uma série de obstáculos, gerando cenas muito bonitas e engraçadas.

Quando o pai fala em unir-se à mãe no religioso ocorre uma quebra em Rafael, na qual o infarto e a proximidade de seu amigo de Juan Carlos contribuem.

Os conflitos vividos pelo protagonista terão muitos desdobramentos em que eu deixarei para vocês descobrirem.

 

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha filme: O Filho da Noiva – Juan José Campanella

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s