Resenha livro: Angústia – Graciliano Ramos

Resultado de imagem para graciliano ramos

Graciliano Ramos.

Angústia foi o romance sobre o qual, com o passar dos anos, as opiniões dos críticos literários mais variaram, alguns elogiaram muito e outros criticaram. Porém, foi considerado o romance mais importante da década de 30, por escritores do gabarito de Mário de Andrade.

Quem está acostumado com o Graciliano Ramos de Vidas Secas e S. Bernardo estranhará Angústia. A escrita dessa obra é bem diferente, com bastante detalhes, contrastando com a secura dos dois livros citados.

A narrativa é feita em primeira pessoa pela personagem Luís da Silva. Um homem solteiro de 35 anos, alagoano, morador de Maceió, filho de um latifundiário falido chamado Trajano Pereira de Aquino Cavalcante da Silva, para o protagonista sobrou somente o “da Silva”.

Com a morte do pai, Luís com 14 anos perde todos os bens: uma fazenda, que tinha até ex-escravos. Ele vai para Maceió e no início chega a pedir esmolas para sobreviver, depois se torna professor e chega a trabalhar em um jornal, escrevendo coisas, que lhes mandam.

Nesse ambiente de trabalho seu chefe é o Julião Tavares, rapaz gordo, filho de negociantes de prédios e membros influentes da Associação Comercial, gente que ele considerava ratos.

Luís tem uma personalidade solitária, interagindo pouco com os vizinhos e amigos. Em várias partes ele demonstra um profundo desejo de isolamento, passando o tempo todo como voyeur.

Em um dia, que está descansando em uma rede ele vê a vizinha, a jovem Marina, por quem se apaixona. O protagonista logo de cara lhe propõe casamento, se dispondo até a fazer dívidas para comprar-lhe o enxoval (fato que para ele significou muito).

Em um dia chegando em sua casa, ele vê Julião Tavares flertando com Marina e ela toda derretida.

O ódio que ele já tinha do chefe toma proporções absurdas, quando a moça rompe o namoro para ficar com Julião.

A raiva e o ressentimento tomam conta de Luís e ele passa a viver em prol do relacionamento deles.

Como era um exímio observador Luís percebe, que Marina está diferente, muito triste. Ele escuta a moça vomitando no banheiro e descobre: Marina está grávida!

Julião Tavares some da casa da jovem, e o ódio do protagonisa vai as alturas.

Ele passa a seguir Marina e vê que ela vai a um povoado distante e entra dentro de uma casa pequena e suja, em que tinha um letreiro escrito: Enfermeira certificada.

Luís enlouquece e começa a sonhar em matar Julião Tavares.  Ele acredita que o mundo se tornará muito melhor, se pessoas como o seu rival desaparecessem.

Nesse momento Angústia me lembrou muito Crime e Castigo do Dostoievsky, em que Raskolnikov acredita que ele precisava livrar a humanidade da presença da velha usurária.

Para ambas as personagens assassinar as pessoas que os incomodavam não tornaram suas vidas melhores, pelo contrário, o sentimento de culpa os pegam, terrivelmente.

Para Luis Bueno, estudioso da obra de Graciliano Ramos, o desejo de matar Julião Tavares representa o desejo de que o Brasil voltasse à velha ordem, rompida pela Revolução de 30.

Assassinar o rato do Julião foi mesmo inútil, porque não interferiu  na ordem presente e pessoas como ele continua comum até os nossos dias.

Luis matou Julião, mas não matou a nova ordem e por isso, ele permaneceu um rato miúdo, como ele próprio se definiu.

O dinheiro naquele momento passou a contar muito mais, do que a família da pessoa. O Brasil havia entrado na era do capital industrial.

Diferentemente do capitalista sanguinolento e self made man de S. Bernado – Paulo Honório, Luís Silva era um inadequado social. Gracialiano construiu duas personalidades, frutos do sistema capitalista, porém completamente opostas.

Essa obra é realmente surpreendente e acredito que ficará com você por um bom tempo.

 

Anúncios

11 comentários sobre “Resenha livro: Angústia – Graciliano Ramos

  1. Juliane, parabéns por seu trabalho neste Blog, acho muito valioso o que você faz. Vivemos num momento tão difícil em nossa sociedade, onde as “inteligências” são torpes. Nada melhor que uma boa leitura para ajudar a limpar a água. Mais uma vez, parabéns.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ju, não li Angústia ainda. Li São Bernardo e foi o livro de literatura brasileira do qual mais gostei, me emocionou muito, tanto que fiquei até com medo dos outros do Graciliano… rs Bjs!

    Curtir

  3. Oies! Eu li esse livro no começo desse ano e literalmente fiquei com o sentimento de angústia, rs … Apesar de não ter lido toda a obra do Graciliano Ramos, considero um dos meus autores favoritos da vida! ❤ Parabéns pela resenha, como sempre… Bjos 😉

    P.S. Se quiser conferir, segue o link para a minha resenha de Angústia: https://abookaholicgirl.wordpress.com/2017/03/04/resenha-angustia-por-graciliano-ramos/

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s