Resenha filme: Crimes Ocultos – Daniel Espinosa

Não há assassinatos no Paraíso é a tradução literal do título do filme em inglês, também chamado de Child 44, no Brasil ficou  Crimes Ocultos,  achei um pouco fraco.

O longa metragem é baseado no livro de Tom Rob Smith, Child 44. A narrativa versa sobre um serial-killer canibal na URSS, que assassinava especificamente crianças.

O governo soviético acreditava que assassinos em séries eram frutos do capitalismo e que em uma economia planificada esse fenômeno não acontecia.

Por conta dessa crença muitas crianças morreram, pois a polícia demorou muito para agir. Como mostra o filme, o laudo oficial das mortes era atropelamento por trem, ataques de lobos, etc. Ninguém queria admitir que aquilo estava acontecendo na URSS.

O filme narra a história do herói Leo Demodov, um rapaz sobrevivente do Holodomor (genocídio da população ucraniana feito por Stálin) , que cresceu em um orfanato na Ucrânia, lutou na Segunda Guerra Mundial e se tornou membro da NKVD (polícia política stalinista, posteriormente chamada de KGB).

513030-970x600-1
A caracterização das personagens foi muito bem feita.  Leo é um membro da NKVD.

O filho de seu amigo foi assassinado, apareceu nu perto da linha do trem, seu estômago foi retirado e havia sinais de tortura.

Leo foi obrigado a dizer ao pai do garoto, que seu filho foi atropelado por uma locomotiva. Esse ocorrido nunca saiu de sua mente.

A narrativa conta com uma subtrama um pouco cansativa, que é o conflito moral de Leo.

Sua esposa Raíssa é uma rebelde, que se opõe ao governo stalinista e Leo combate exatamente esse tipo de pessoa.

A jovem é descoberta e o Estado ordena que o protagonista entregue sua esposa. Ele se nega e como punição são deslocados para uma cidade afastada, onde necessitam morar em um apartamento coletivo (seria uma espécie de cortiço se transpormos para a realidade brasileira), até que o apartamento deles fosse disponibilizado.

Essa narrativa faz com que o filme se alongue demais e a história do serial-killer se perca um pouco. Parece que o diretor quis abraçar todo o período stalinista com as mãos, deixando a obra sem foco.

Leo descobre que outras crianças morreram de maneira semelhante ao filho do seu amigo, principalmente na cidade de Rostov.

e7122784e7779b28baee5ab33b8f0ac00682dd41_big

O stalinismo era um regime totalitário, que foi além de uma ditadura. As pessoas não tinham direitos políticos nenhum e não podiam pensar fora do sistema, senão morriam.

Porém, o protagonista é uma das poucas pessoas que ousava a questionar. Para ele não havia dúvidas estavam diante de um assassino em série.

Leo começa a pesquisar a morte dessas crianças e toda uma trama de suspense começa a se desenrolar. Nessa parte o filme fica interessante.

download-2-750x380

O verdadeiro serial killer soviético era Andrei Romanovich, que viveu em 1982, e recebeu a alcunha de o “Açougueiro de Rostov”.

Aos 34 anos o assassino era membro do Partido Comunista e era professor do ensino médio, foi demitido por molestar um aluno.

Acredita-se que ele era impotente e por não conseguir manter relações sexuais com suas vítimas as esfaqueava.

Em dois anos a polícia achou 23 corpos de crianças, todos com sinais de tortura e faltando órgãos.

O Estado demorou muito para admitir, que estava diante de um assassino em série e isso contribuiu para o grande número de crianças mortas.

A polícia começou a mapear todos os cidadãos que viajavam e colocou policiais disfarçados nas estações de trem e assim prenderam o serial-killer.

A temática do filme é muito interessante, porém foi mal explorada. No entanto,  ainda assim é uma obra que vale a pena.

As cenas foram bem feitas, com a caracterização e fotografia muito bem feitas. Parece realmente, que estamos na União Soviética.

Anúncios

5 comentários

  1. Um dos aspectos mais importantes de cada produção é o seu elenco, pois deles despende que a história seja caracterizada corretamente. Acho que em Vida fizeram uma eleição excelente ao eleger os atores. Gostei muito desta história, acho que é perfeita para todo o público. Todos os filmes em que Ryan Reynolds parece me fascinar!!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s