Resenha doc.: O Holocausto Nazista: Gueto – Guido Knopp

O termo gueto se originou da designação italiana para o bairro judaico de Veneza, criado em 1516.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os guetos eram regiões urbanas onde os alemães concentraram a população judaica. Os nazistas criaram mais de 400 guetos, onde os judeus foram forçados a viver em condições terríveis.
Os guetos foram uma medida provisória que visava o controle, segregação e a posterior eliminação dos judeus.

O maior gueto foi o de Varsóvia na Polônia, onde mais de 400 mil judeus foram colocados em uma área de 3.3 km quadrados. Outros guetos importantes foram feitos nas cidades: Lodz, Lublin, Cracóvia, Vilna, Kovno, Minsk e Bialystov.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas

Imagens feitas pelos alemães no gueto de Varsóvia.

O documentário inicia, mostrando a ocupação nazista na Polônia. Em 1939, os alemães filmaram o bairro judeu Lodz a fim de criar propaganda para fomentar mais o ódio racial na Alemanha.

Para a obra foram entrevistados judeus sobreviventes de vários guetos e campos de concentração e nazistas, que trabalharam nesses lugares. Apesar de existirem vários guetos fora da Polônia o documentário concentrou-se nesse país.

A partir da ocupação nazista no território polonês os judeus começaram a ser duramente perseguidos.

Os alemães começaram a realizar filmagens dos guetos, principalmente de Varsóvia, para servirem de propagandas contra os judeus.

Porém, acreditaram que a publicidade poderia causar comoção nos alemães, visto a miserabilidade do local, então resolveram desprezar as imagens. O que serviu para nós como mais uma comprovação do genocídio judeu.

A imagem pode conter: 1 pessoa

Imagem de um apartamento no gueto de Varsóvia. As condições de vida eram precárias.

Muitos alemães viram na ocupação polonesa uma maneira de ascender socialmente. Em Cracóvia chegaram muitos em busca de surrupiar as propriedades de poloneses e judeus.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas sentadas

Para os alemães a Polônia era um idílio.

Em um bairro de Varsóvia onde moravam mil judeus, passaram a morar 4 mil pessoas, chegando a 400 mil posteriormente. O bairro foi cercado, a população não podia sair, havia falta de saneamento básico e muita fome.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

Imagem do gueto de Varsóvia, as crianças eram as principais vítimas.

Com as condições tenebrosas começaram as epidemias de tifo e com a fome muita gente morria de inanição.

Os judeus residentes nos guetos foram escravizados pelos alemães, principalmente em fábricas.

O cotidiano era administrado por uma espécie de prefeitura judaica, cujos membros eram escolhidos pelos nazistas. Se eles não cumprissem as ordens nazistas eram executados.

A elite judaica por terem mais pertences para trocar conseguiam sobreviver por mais tempo.

Através das entrevistas com os judeus vemos os questionamentos, angústias e medos, que essa população passava.

Por exemplo, que tipo de roupa colocar em uma criança para ela parecer mais velha e passar por um trabalhador e assim sobreviver.

Mulheres e crianças à direita e homens à esquerda……a maioria dessas mulheres e crianças desapareceram ,foram mortas.

A imagem pode conter: 4 pessoas

Imagem da evacuação do gueto de Cracóvia.

Os transportes em trem, que levavam para os campos eram o inferno na terra. Quem sobreviveu aos terrores dos guetos acabaram indo para os campos de concentração.

Os questionamentos dos entrevistados, quando eram crianças nos guetos, consistiam onde é seguro caminhar, de quem desviar, não havia tempo para lágrimas, quando é preciso sobreviver.

Em 1943, teve a Revolta de Varsóvia também ocorreram revoltas violentas em Vilna, Bialystok e Gzestochowa. Em agosto de 1944, a SS destruiu o último gueto o de Lodz.

Judeus do gueto de Lodz colocados em trens de carga para serem deportados para o campo de extermínio de Chelmno. Foto tirada em Lodz, Polônia, entre 1942 e 1944.

Judeus do gueto de Lodz colocados em trens de carga para serem deportados para o campo de extermínio de Chelmno. Foto tirada em Lodz, Polônia, entre 1942 e 1944.
— National Museum of American Jewish History, Philadelphia

Compreender os guetos nazistas é fundamental para entendermos todas as dimensões do Holocausto.

Anúncios

4 comentários sobre “Resenha doc.: O Holocausto Nazista: Gueto – Guido Knopp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s