Resenha série: El Ministerio del Tiempo – Javier e Pablo Olivares (1ª temporada)

El Ministerio del Tiempo é uma série espanhola, produzida pela RTVE e disponibilizada no Brasil pela Netflix.

download
Personagens de Ministerio del Tiempo. 

O objetivo da narrativa é contar um pouco da História da Espanha, representando  personalidades ilustres como: Picasso, Salvador Dalí, Lope de Vega, García Lorca, Luís Bruñel, Diego Velásquez, etc., além de pessoas comuns. 

García Lorca
Angelo Ruíz como Frederico García Lorca. 

Na série, o Ministerio del Tiempo é um órgão do Estado espanhol. A partir de um rabino cabalista, no século XVI, a Espanha adquire o conhecimento de como viajar no tempo.

Romano
Através da viagem no tempo, os personagens podem acessar o território que viria a ser Espanha, no período romano. 

Para combater pessoas, que também possuem a sabedoria de voltar ao passado, cujo poder pode mudar a História da Espanha; o governo contrata três pessoas de tempos diferentes: Alonso de Entreríos um cavaleiro do século XVI, Amélia Folch a primeira mulher a cursar uma universidade no século XIX e Julián um enfermeiro do século XXI. 

Lisboa 1588
Representação da Armada Invencível. 

A série tem várias licenças poéticas, além da viagem no tempo. Uma delas é a comunicação de uma pessoa do século XVI, com outra do século XXI. Seria muito difícil, pois, o espanhol falado em 1580, não é o mesmo de hoje.

Os personagens principais são:

Alonso de Entreríos – um típico cavaleiro, muito devoto e leal à Coroa Espanhola. Tem muita dificuldade em aceitar o comando de Amelia Folch, pois, logicamente sua mentalidade é de 1569. Foi recrutado para o Ministério, depois de ser condenado a morte, devido a derrota da Espanha em uma guerra.

Alonso Entreríos
Meu personagem favorito Alonso de Entreríos, representado por Nacho Fresneda. 

Amelia Folch é uma jovem universitária de 1880. Sofre com seus pais, que querem lhe arranjar um casamento a todo custo. Para compor sua personagem foram utilizadas como referência várias mulheres espanholas proeminentes do século XIX.

Amelia Folch
Excelente atuação de Aura Garrido como Amelia Folch. 

Julián é um enfermeiro de ambulância em 2015. Foi recrutado pelo governo, após ver em um incêndio soldados bonapartistas, por isso, é diagnosticado como louco. Sua esposa morreu atropelada por um carro em 2012, e o personagem vive em um eterno conflito, voltar no tempo e impedir o acidente ou deixar a história como está.

Julián
Julián (Rodolfo Sancho) prejudica algumas missões por viver no passado e no presente. 

Uma personagem muito interessante é Irene, funcionária do Ministerio del Tiempo. Seu tempo histórico é 1930, ela é homossexual e vive uma vida extremamente infeliz com seu marido. Quando estava a ponto de se suicidar foi salva por uma pessoa, que trabalhava no Ministério. Haverá toda uma trama complexa, envolvendo essa personagem e o seu recrutador.

Irene
Vale a pena prestar a atenção na personagem de Irene, representada por Cayetana Guillén Cuervo. 

Os episódios contemplam várias temporalidades e cidades espanholas, como: Madri, Toledo, Barcelona, Sevilla e Salamanca.

Batalha de Flandes

O episódio mais emocionante, na minha opinião, é quando os três recebem a missão de ir à Toledo e salvar da Inquisição, o rabino, que revelou o segredo das viagens no tempo à monarquia espanhola. Acredito que foi o desafio mais difícil, visto que, enfrentaram o terrível inquisidor Tomás de Torquemada.

Herege
A reconstituição do processo inquisitorial é muito bem feita. 
Rabino
A série representa um tribunal inquisitorial. 

Ademais, eles também combatem em outros episódios: nazistas, franceses bonapartistas, um americano que sabe viajar no tempo e queria privatizar o conhecimento (essa parte foi muito engraçada), entre outros.

O roteiro tem momentos de muito bom humor, que ficam por conta principalmente de Alonso de Entreríos, que não entende os códigos morais atuais e “Diego Velázquez” com seu grande ego e sua insistência em viajar para o futuro e conhecer Picasso.

Diego Velazques
Diego Villagan tira boa risadas como Diego Velázquez. 

A obra é um grande resgate da rica História e cultura espanhola. Sabemos que o país enfrenta diversos problemas com movimentos separatistas catalão e basco. Possivelmente, a série tenta trazer para o presente um pouco do orgulho e do poder espanhol de outrora. Também, acredito que ela visa fazer com que todos os espanhóis se sintam partes desse passado.

Amélia e Lola
Quando os personagens viajam no tempo eles são caracterizados de acordo com a época.

Além disso, a narrativa a partir da perspectiva de Amelia Folch e Irene discutem a condição da mulher atualmente, através dos problemas do passado, ou seja, quais foram as mudanças e as permanências.

A série conta com efeitos especiais muito bem feitos, além da excelente construção dos personagens, com uma fotografia riquíssima.

hoguera
As representações e as caracterizações dos personagens são ótimas. 

Por tudo isso, é uma série que vale a pena conferir.

 

Anúncios

4 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s