Resenha filme: My Happy Family – Nana Ekvtimishvili e Simon Groß

My Happy Family é um filme georgiano, que narra a história da personagem Manana, uma mulher de 52 anos, que mora com os pais, o marido, dois filhos e o genro em um apartamento pequeno da época soviética.

A princípio a narrativa pode parecer muito simples, mas não se enganem, estamos diante de algo complexo: A confluência da tradição patriarcal com a modernidade líquida. Portanto, muitos conflitos virão à tona.

Manana e a família
Manana começa a questionar sua vida dentro de uma família sufocante.

Modernidade líquida é um conceito desenvolvido pelo sociólogo Zygmunt Baumann, em que a impermanência, a mudança das formas, quebra de costumes, dentro de um processo que não parece ter fim é o mote de nossa sociedade. A capacidade de construir coisas duradouras não é mais uma qualidade, presume-se que as coisas e as relações são úteis apenas por um determinado tempo.

Manana vive uma vida oprimida, sem nenhuma voz. A mãe lhe dá ordens o tempo inteiro, seja na criação dos netos ou na alimentação da família. O marido a princípio é o único que tenta ouvi-la, mas sucumbe à pressões do meio.

My happy family - manana e a mae
Manana não autonomia nem em sua alimentação.

Os filhos são os jovens “nem e nem”, nem trabalham e nem estudam. Soso, a filha mais velha, é casada e vive parasitando em volta da família, enquanto seu irmão passa o dia no computador, ouvindo músicas. São frutos da modernidade líquida.

No dia do aniversário de Manana, ela avisa aos pais e ao marido que não quer festa. A noite seu irmão chega à casa para a comemoração com mais 20 pessoas e passam a madrugada cantando.

Esse fato passa a ser a gota d’água que faltava, ou seja, ela não foi respeitada minimamente no desejo de ter um dia de paz.

My happy family - manana aniversariante
Manana não está à vontade com a festa, mas ninguém se importa, ela não tem nenhuma voz.

Dessa forma, Manana decide alugar um apartamento e ir morar sozinha. Isso é visto pela sua família como uma decisão absurda. Como ela poderia abandonar o marido e os filhos?

My happy family - vida fechada
Manana vive progressos e recuos, a janela fechada é uma metáfora da sua vida.

Fazem de tudo para ela não ir, até reuniões familiares acontecem a fim de faze-la retornar à casa.

My happy family - manana se mudando

No apartamento, Manana começará a redescobrir seu eu. Ela viveu fazendo tudo que esperavam dela, como por exemplo casar-se e ter filhos. Aos 52 anos, a protagonista começa a reavaliar sua vida e suas decisões.

my-happy-family janela aberta
Nessa cena, a janela está aberta e está tocando Mozart no ambiente, metáfora para a liberdade.

Interessante observarmos, em uma festa que Manana participa, suas amigas perguntam a respeito do casamento de Soso, como se o matrimônio fosse o destino certo para todas as mulheres.

My happy family - porta fechada
Algumas portas ainda estão fechadas para Manana, ela precisará retornar  à pontos desconhecidos de seu passado para poder abri-las.

Ao mesmo tempo, o casamento de Soso não dura nem um ano, o mesmo acontece com uma aluna de Manana, cuja boda durou 6 meses.

Outro ponto interessante, na reunião familiar para discutir a decisão de Manana, seu irmão diz a ela para ouvir os mais velhos. No entanto, a opinião que a protagonista mais valoriza é de sua aluna de 17 anos.

Os idosos deixaram de ser repositórios de sabedoria, enquanto os jovens passaram a ter voz.

 Assim, percebemos o choque cultural em que tudo está se desmanchando, porém, os valores antigos ainda persistem, mesmo não fazendo mais sentido.

Fica a dica para vocês de um filme diferente, que apesar de se passar na Geórgia, diz muito sobre a nossa realidade. O Brasil entrou na modernidade líquida, ao mesmo tempo que velhos costumes persistem em nossa sociedade, gerando muitos conflitos. 

Tem na Netflix.

Site georgiano cita a resenha do blog: https://imedinews.ge/ge/kultura/60606/braziliashi-piqroben-rom-chemi-bednieri-ojakhi-mat-realobasats-asakhavs

Anúncios

2 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s