Resenha filme: A Outra – Justin Chadwick

“Confie em Deus, e mantenha seca a sua pólvora.”  Oliver Cromwell

A Outra é um filme histórico, que retrata a trajetória das irmãs Bolena e seus respectivos relacionamentos com o rei Henrique VIII.

Henrique VIII pertencia a dinastia dos Tudors e era casado com a princesa espanhola Catarina de Aragão.

Catarina de Aragão

Ana Torrent como Catarina de Aragão, representada como uma mulher desprezada e sofrida.

O casal teve somente uma filha Maria I, depois de sucessivos abortos espontâneos e na falta de um filho que herdaria o trono, o rei começa a cogitar a anulação do casamento.

Ana Bolena

Natalie Portman excelente como Ana Bolena. A personagem é retratada como egocêntrica, mesquinha e interesseira.

Com a fragilidade política de Catarina de Aragão, a família Bolena começa a cogitar transformar Ana em amante do rei.

 

 

No filme, em uma visita de Henrique VIII à casa dos Bolena, o pai das jovens orienta Ana a “entreter” o rei.

Irmãs Bolena

As irmãs Bolena são joguetes nas mãos do pai.

Algo acontece e a majestade se interessa por Maria Bolena. No filme, Ana Bolena é retratada como uma jovem interesseira e vingativa, por isso, ela não deixará barato para sua irmã.

 

 

A narrativa da obra tem várias licenças poéticas, como por exemplo, no filme Ana é mais velha que Maria, porém, a última era a primogênita, tendo mais ou menos 12 meses de diferença de Ana.

No longa-metragem, Ana vai para a corte francesa como forma de punição por desobedecer seu pai. No entanto, tanto Ana quanto Maria estiveram na corte francesa do rei François I.

Maria Bolena realmente foi amante de Henrique VIII, antes de Ana, provavelmente, por dois anos.

 

 

Por isso, Ana Bolena vendo a experiência da irmã não aceita ser amante do rei, mas  determina que quer ser sua esposa, dizem que eles não tiveram relações sexuais durante 8 anos, até consumarem o casamento.

Henrique VIII, como mostra no filme, era um rei absolutista, ou seja, todos os poderes, que em uma democracia estão divididos (Executivo, Legislativo e Judiciário) estavam em suas mãos. O único poder que poderia contrapor ao do rei era o da Igreja Católica, um dos motivos pelos quais, Henrique VIII quebra com Roma e funda a Igreja Anglicana.

Ana Bolena é vítima de uma série de conspirações de outros nobres, pois, junto com Oliver Cromwel (líder da Revolução Puritana) estavam consolidando a reforma protestante na Inglaterra, fato que não agradava parte da aristocracia ligada à Roma. 

Rei Henrique VIII

Henrique VIII (Eric Bana) é retratado como um narcisista, que tratava as pessoas como mero joguetes.

A reforma protestante não será finalizada por Henrique VIII, mas por sua filha e de Ana Bolena – Elizabeth I.

A Inglaterra não entrou em guerra civil, como previsto pelo rei, pela falta de um homem como herdeiro, pelo contrário, Elisabeth I consolidou as reformas e unificou a Inglaterra.

O filme é excelente tanto pela narrativa e edição, quanto pela atuação maravilhosa de Natalie Portman como Ana Bolena e Scarlett Johansson como Maria Bolena.

A fotografia, a composição das cenas e o figuro são perfeitos, pois, retratam muito bem a época.

A obra traz reflexões importantes sobre as condições das mulheres do passado, obrigadas pelas famílias a praticamente se prostituirem em troca de dinheiro e poder, mesmo elas pertencendo à nobreza, como era o caso de Maria e Ana Bolena.

 

Anúncios

6 comentários sobre “Resenha filme: A Outra – Justin Chadwick

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s