Resenha filme: Nuestros Amantes – Miguel Ángel Lamata

“Meu sonho é ser um pouco feliz. Sou ambiciosa? ” Irene (personagem)

Nuestros Amantes é um filme dramático, romântico e com algumas pitadas de humor.

O filme não é uma comédia romântica no estilo que estamos acostumadosa ver e como a maioria das obras espanholas disseca a mente humana, é isso, que o torna interessante.

Os protagonistas são Carlos e Irene, que se encontram em uma biblioteca e, por sugestão da jovem, eles começam um “jogo”: Eles não poderiam saber o nome um do outro, não procurariam nada sobre o outro na internet, não iriam em suas respectivas casas e não poderiam se apaixonar.

Nuestros Amantes.png

Michelle Jenner como Irene. 

O fato de eles não saberem nada previamente um do outro, nem mesmo o nome os despersonalizariam, mas ao mesmo, evitaria projeções.

O filme foca nos diálogos entre os dois personagens. Nós ficamos o tempo todo como testemunhas das conversas.

Ambos estão desesperados por se sentirem tão descartáveis e abandonados. Os dois foram abandonados sem nenhum motivo aparente por seus respectivos parceiros, apesar de serem atraentes física e emocionalmente.

Nuestros Amantes 2.png

Os personagens são apresentados de cima tornando-os pequenos mediante os sentimentos. 

Suas relações amorosas eram superficiais e oscilavam entre um sonho legal e um pesadelo, acabando abruptamente.

O filme remete bastante à obra do sociólogo Zygmunt Bauman – Amor Líquido, que nos adverte da fragilidade dos laços emocionais e dos vínculos humanos em nossa sociedade.

“Ao contrário dos relacionamentos antiquados, (para não falar daqueles com compromisso, muito menos dos compromissos de longo prazo), eles parecem feitos sob medida para o líquido cenário de vida moderna, em que se espera e se deseja que as “possibilidades românticas”, e não apenas românticas surjam e desapareçam numa velocidade crescente e em volume cada vez maior, aniquilando-se mutuamente e tentando impor aos gritos a promessa de “ser a mais satisfatória e a mais completa.” Zygmunt Bauman, Amor Líquido.

A câmera nos vai mostrando os personagens e vamos conhecendo-os em todos os ângulos. As conversas são feitas em um ritmo rápido e é só por meio delas que vamos conhecendo os protagonistas.

Nuestros Amantes 3

Irene (Michelle Jenner) e Carlos (Eduardo Noriega). 

Os atores são muito bons, pois, toda a narrativa é extremamente dependente da interpretação deles.

Não me prolongarei dizendo para vocês como terminará este “jogo”, pois poderei dar spoilers, eu gostaria que vocês assistissem e me contassem o que vocês sentiram ao assistir a esse filme.

Posso dizer de mim, que senti realmente exposto o vazio da modernidade líquida.

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha filme: Nuestros Amantes – Miguel Ángel Lamata

  1. Ju ótima critica como sempre,também gostei muito do filme realmente os atores são ótimos, a atriz eu já conhecia pois ela protagonizou a série Isabel a Rainha de Castela ( ótima série por sinal) Michelle Jenner é muito bonita e talentosa .O texto do filme é ótimo os diálogos inteligentes e bem construídos e a história prende a nossa atenção com uma narrativa ágil e bem costurada.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s