Resenha série: Trotsky – Alexander Kot e Konstantin Statsky

“Eu vou acabar com o seu mundo imundo. Lev D. Bronshtein (Léon Trotsky)

Isso não vai acontecer. O mundo imundo está dentro de você.” Nicolai Trotski (carcereiro czarista)

Durante todo o período stalinista, o governo soviético tentou apagar o legado de Trotsky. Porém, com a queda do regime e a abertura dos arquivos é possível compreendermos melhor o papel desse revolucionário.

Trem como um símbolo do Trotsky
O trem na série é o símbolo do Trotsky. Ele atropela quem aparece como empecilho em sua frente. 

 Não espere da série russa uma interpretação romântica da Revolução Russa. Trotsky, Lenin e Stalin, assim como todo que fizeram parte desse período histórico aparecem de forma humanizada, com muitos defeitos e qualidades, nada é apresentado em branco e preto, mas com várias nuances.

Trotsky real

Lev Davidovich Bronshtein era o nome real de Trotsky, um rapaz pobre e de origem judaica, que leu o “Manifesto do Partido Comunista” de Karl Marx e a partir disso, passou a sonhar com uma revolução: Um mundo em que não existiria ricos e pobres e nem russos e judeus, sem divisões. 

A série começa com Trotsky preso, por conspiração, no regime czarista. Nesse período, o revolucionário era ainda um jovem idealista e não sabia como se articular, apesar de ter oratória brilhante.

Trosty na prisão
Trotsky se revolta com o tratamento que os presos recebem. 

Trotsky começa a perceber que os presos eram espancados aleatoriamente sem nenhum motivo específico.

Assim, ele começa a liderar uma rebelião, para pedir ajuda médica para os que tinham sido violentados e melhores condições na cadeia.

Trotski na prisão 2
Bronshtein chama a atenção do carcereiro, pois ninguém havia visto um intelectual judeu, liderando uma rebelião com presos comuns. 

Trotsky na prisão mundo imundo

TROSTSKY NA PRISÃ MUNDO IMUNDO DENTRO DELE

Nicolai Trotski chama o então Bronshtein para uma partida de xadrez e ali, no melhor diálogo da série, eles começam a debater. O revolucionário acaba entendendo, que sem demonstrar poder, ele seria visto como somente um jovem idealista.

Trotsky na prisão decidir o destino das pessoas.
O melhor diálogo da série: Trotski e Bronshtein.

Lev Bronshtein admira tanto o carcereiro e adota seu sobrenome: Trotsky, passando a agir dentro da ética aprendida: o terror.

Já conhecido como Trotsky, ele consegue fugir para a França, para articular a revolução.

Em Paris, o rapaz conhece o Lenin, que era o líder e fundador do Partido Bolchevique, que iria derrotar os mencheviques e se tornar único.

Lenin vê potencial em Trotsky, mas também muita arrogância e o trata com sarcasmo e ironia.

tROTSKY COM LENIN
Trotsky ainda tem uma retórica utópica na França e é corrigido por Lenin. O ator Konstantin Khabensky tem uma atuação excelente. 

Na capital francesa, o revolucionário conhece sua futura companheira – Natalia Sedova, lembrando que ele era casado e tinha duas filhas, que ficaram exiladas na Sibéria.

Nesse período, Trotsky é descoberto por capitalistas alemães, que estavam interessados em quebrar com o czarismo e veem uma revolução socialista como a única possibilidade de isso acontecer. Você entendeu bem: Capitalistas, lembrando que nada nesse mundo é feito sem dinheiro.

TROTSKY BURGUESIA ALEMÃ - CACHORRO
Burgueses alemães pretendiam quebrar o czarismo, com revolucionários comunistas. O cachorro na cena é uma metáfora para os Bolcheviques. 

Assim, eles começam a financiar o rapaz, que até então vivia na extrema penúria, sem moedas para comprar um pão.

Trotsky com Natália Sedova começam a frequentar as rodas de intelectuais franceses, pessoas pelas quais sente um profundo desprezo.

TROTSKY OLHA DE CIMA
Trotsky é conhecido por sua arrogância e antipatia. Nessa cena, ele está conversando com o capitalista que o financia, a quem ele detesta. 

Uma outra cena memorável é quando o casal assisti uma palestra do Freud. Trotsky tenta desconstruir os conceitos da Psicanálise, mas acaba incorporando temas da nova ciência em seu discurso. É imperdível a análise rápida que o psicanalista faz do jovem revolucionário.

Trotsky volta para a Rússia e começa a organizar o exército vermelho, que era composto de camponeses e operários paupérrimos. Ele que era um intelectual, não um militar começa a ter muitos êxitos em batalhas contra o exército branco (czarista), que era profissional.

O revolucionário demonstra que aprendeu muito bem a lição com o carcereiro czarista, pois não demonstra nenhum pingo de misericórdia com erros alheios, executando qualquer um, compreendido como fraco.

Pessoas mortas no cemitério
Camponeses assassinados. “O mundo imundo” estava dentro de Bronshtein, vulgo Trotsky. 

Com essas vitórias, sua personalidade narcisista torna-se cada vez pior.  Ele não mede esforços para diminuir quem quer que fosse, inclusive, uma figura que diretamente será o responsável por sua morte: Stálin.

Deportação de intelectuais
Intelectuais e poetas opositores são deportados. 

Stálin era um “ladrão” do Partido Bolchevique, sua função era assaltar para conseguir fundos para a revolução. Em um discurso acalorado de Trotsky, ele fica encantado e vai cumprimentar o companheiro, que o ignora. Por esse ato, Bronstein nunca seria perdoado.

Stalin com Trotsky judeu
Stálin não perdoa Trotsky e o lembra de sua condição judaica. 

Trotsky tinha uma “pedra no sapato”, que não tardou para que seus inimigos explorassem: sua origem judaica. Por mais que se declarasse ateu, muitos cutucavam “a ferida”. Ele se tornou uma pessoa poderosa, mas para muitos, ainda era um judeu.

Essa condição será constantemente lembrada por Stálin, que chega a dizer que o mundo Bolchevique, não comportaria gente dessa nação (judaica).

Trotsky judeu nunca será aceito

Por influência de Trotsky, Lenin declara qualquer ato antissemita um crime, claro que essa lei seria que descumprida por Stálin.

O filme explora o ódio aos judeus. Em um momento, o pai de Trotsky está em uma feira e é brutalmente espancado, algo acontece com as duas filhas do revolucionário, que tentam proteger o avô.

pAI DO TROTSKI APANHANDO
Pai do Trotsky sendo espancado por homens em uma feira. 

Nada faz Trotsky recuar da ideia de ver uma revolução na Rússia. Ele articula toda a tomada de poder, a primeira: contra o liberal Kerensky, não tem êxito, na segunda tentativa, ele sai vitorioso.

No entanto, novamente ele se depara com o antissemitismo: Não seria possível um ditador judeu na Rússia. Assim, ele entrega a revolução para a liderança do Lenin, que vinha de família judaica, mas convertida ao cristianismo.

Trotsky exilado por ser judeu
Após a morte de Lenin, Stalin se utiliza do antissemitismo para exilar Trotsky e tentar apagá-lo da história da revolução. 

A narrativa se desenrola e mostra um Trotsky refugiado no México, já idoso convivendo e conversando com vários fantasmas, enquanto se relaciona com Frida Kahlo e com um jornalista que o entrevista.

Trotsky Frida Kahlo.png
Trotsky é apresentado como machista, mal esposo e péssimo pai. 

A série é excelente!! Vale muitíssimo a pena conhecer a história de uma pessoa, cuja participação foi crucial para mudar, para o bem ou mal, o mundo que conhecemos.

Me siga no instagram! https://www.instagram.com/oroscojuliane/

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s