Resenha livro: A mente de Adolf Hitler – Walter C. Langer

“Dos soviéticos eu aprendi a implementar o terror, dos liberais a fazer propaganda.” Adolf Hitler

Este livro é o histórico e a análise da psiquê de Hitler feitos em 1943, enquanto o líder nazista ainda estava vivo. Mantido como documento confidencial por quase um quarto de século, este estudo pioneiro apresenta uma das maiores pesquisas já feitas.

Quem acompanhou os Stories no meu Instagram viu o quanto essa obra é reveladora, pois para termos uma ideia o autor previu, baseado em análises psicológicas, o suicídio de Hitler.

“Hitler pode se suicidar. Esse é o desenlace mais plausível. Não só ele muitas vezes ameaçou se suicidar, bem como, do que sabemos, de sua psicologia, é a possibilidade com mais chances de acontecer.”

No início da sua carreira, poucos se deram conta do potencial destrutivo, que ele tinha, alguns até o viam como alguém divertido, outros falaram: “Não vai durar.”

Em sua juventude, Hitler era uma pessoa paupérrima, vivia em hotéis extremamente baratos e convivia tranquilamente com homossexuais, chegando a ser fichado pela polícia austríaca por andar com “sodomitas”.

Não era uma pessoa trabalhadora, pelo contrário, vivia visitando museus com judeus aposentados durante o dia.

ImagenesProhibidas.Hitler2

Tentou trabalhar na construção civil, mas os operários se irritaram com ele e o ameaçaram de empurra-lo de um andaime. Possivelmente, o futuro chanceler contestava o discurso marxista dos trabalhadores.

Como ele se tornou o genocida e destruidor que conhecemos pela História? O livro dará várias explicações a começar pela infância.

Filho de um pai 20 anos mais velho que a mãe, que vivia apanhando do marido bêbado. Hitler, seus irmãos e o cachorro também eram constantemente surrados.

blog_baby_hitler_1
Hitler bebê.

Alois Hitler, pais de Adolf, era filho bastardo de Maria Ana Schicklgruber. Há um boato de que o pai seria judeu, mas a hipótese foi descartada, porque Alois foi reconhecido como filho por um austríaco no leito de morte. Era funcionário público, exercendo a função de inspeto alfandegário.

A mãe do futuro führer, se chamava Klara Hitler e teve uma vida infernal. Foram várias gravidezes em que os bebês nasciam mortos ou morriam pouco tempo depois e como dito, o marido era terrível. A personalidade dela foi traçada como masoquista, influenciando fortemente o caráter do líder nazista.

Adolf teve três irmãos, Alois Hitler Jr. o mais velho teve problemas com bebida e acabou morrendo em um campo de morte, a justificativa foi: “ele falava muito.”

Angela Hitler e Paula Hitler eram irmãs mais novas e o destino delas não se sabe. Geli Raubal, filha de Angela, foi amante de Adolf e acabou cometendo suicídio.

Quando Klara morreu, Hitler foi para Viena tentar entrar na Faculdade de Belas Artes, sendo reprovado por duas vezes.

O histórico escolar o futuro führer era medíocre, sendo que a mãe o trocou várias vezes de escola para que não reprovasse. A única disciplina que ia bem era desenho.

No entanto, ele sempre teve boa oratória, pois vivia sendo surpreendido pregando discursos inflamados para pedras e plantas.

Para ajuda-lo a se sustentar um amigo começou vender os quadros do Hitler em Viena, ele começou a conseguir dinheiro. Só que Adolf tinha preguiça e assim recebia os dividendos parava de pintar.

Nesse período, ele tinha um caráter masoquista (segundo o autor influência da convivência com a mãe), pois sentia prazer em andar sujo, morar em espeluncas e até comer mal.

Também, contratava prostitutas e pedia para elas o chutarem, adorava apanhar de todas as maneiras e fazer sexo que envolvesse uma pessoa urinando na outra.

“que na noite passada, estivera com Hitler e tinha certeza de que ele teria relações sexuais com ela; que os dois tinham se despido e aparentemente estavam se preparando para ir para a cama quando Hitler caiu no chão e implorou para ela chutá-lo.”

Na Primeira Guerra Mundial tentou servir o exército austríaco e foi rejeitado por ter pés tortos.

Acabou incorporando no exército alemão, cujo fato foi um divisor de águas em sua vida.

Aquele temperamento masoquista acabou se transformando em um caráter sádico (dentro de todo masoquista há um sádico e vice-versa).

Além disso, Hitler começou a andar limpo, mesmo em trincheiras sujas e a ser seletivo com o que comia, talvez ali tenha se tornado vegetariano.

“Não há processo de integração ou assimilação. A antiga personalidade é automaticamente suprimida, e suas características são projetadas sobre algum objeto externo contra o qual a nova personalidade pode levar a luta adiante.”

Nesse período, ele começou a ouvir uma voz que lhe dizia tudo o que era para fazer.

Ele contava que estava na trincheira e a voz lhe falou para sair dali, em minutos depois uma granada explodiu no lugar em que estava matando várias pessoas.

ImagenesProhibidas.Hitler1

O autor diz que através da guerra, Hitler conseguiu provar a sua masculinidade, além de lutar pela sua mãe simbólica: Alemanha.

Quando soube da derrota alemã, Adolf reagiu de forma histérica, o futuro  líder nazista escreveu: “Tropecei e cambaleei para trás com os olhos ardentes…Poucas horas depois, os olhos tinham se transformado em carvões em brasa, tudo ficou escuro ao meu redor.”

Nesse período, ele começou a desenvolver o complexo de messias, chegou a deixar a barba crescer para se parecer com Jesus.

Em um de seus discursos, ele imita Cristo batendo nos mercadores do templo, só que os vendedores eram os judeus. No entanto, Hitler não se identificava com o Cristo crucificado (fraco e bondoso), considerando o credo judaico-cristão efeminado e piedoso, incompatível com a nação ariana.

Em relação aos judeus, Adolf desenvolveu um mecanismo de defesa, chamado na Psicanálise de projeção. “É uma técnica pela qual o ego de uma pessoa se defende contra impulsos, tendências ou características desagradáveis, negando sua existência em si mesmo, enquanto atribui aos outros.”

“Nesse processo, o judeu se tornou o símbolo de tudo que Hitler odiava em si mesmo.”

A mesma coisa aconteceu em sua projeção em relação a Alemanha, ele projetou sua mãe na nação alemã, que segundo ele estava sendo traída, corrompida e humilhada.

No início os homossexuais apoiaram o regime nazista, pois Hitler nunca havia demonstrado problemas com a sexualidade de ninguém. Segundo o autor, há uma tendência desse grupo em apoiar regimes que vão contra a ordem vigente, obviamente porque sofrem com a homofobia.

Para termos uma ideia a SA era composta por homossexuais e devido a isso, Hitler mandou matar a todos e fundou a SS.

Posteriormente, mandou todos os considerados “sodomitas” e “efeminados” para campos de morte.

Em sua ascensão ao poder, o autor destaca o grande trabalho da propaganda. Todos seus movimentos eram calculados e a sua oratória foi muito bem trabalhada.

adolf-hitler-divulgacao-600

Também, seu físico passava uma imagem feminizada, pois, suas costas eram estreitas, seu quadril era largo e seu peito entrado. Então, Goebbels e sua equipe resolviam o “problema” com enchimentos.

O autor afirma que Hitler não foi um demônio pessoal, mesmo porque, ele tem vários pacientes que apresentam quadros semelhantes ao de Adolf e não se tornaram líder de país nenhum.

É inegável que suas perversas ações e sua filosofia eram a expressão do estado de espírito que existia em milhões de pessoas, não só na Alemanha, mas em toda a Europa.

“É a capacidade de Hitler de jogar com as tendências inconscientes do povo alemão e de agir como seu porta-voz que lhe permitiu mobilizar suas energias e direcioná-las para os mesmos canais por meio dos quais ele acreditava ter encontrado uma solução para seus conflitos pessoais.”

O livro é realmente incrível e vale muito a pena ser lido. Para mim foi de grande aprendizado.

O autor detalha como ele chegou as conclusões de seu estudo, sempre contextualizando com o ambiente da Alemanha antes da guerra.

Outro ponto que não posso deixar de elogiar é a escolha da foto da capa do livro, excelente! Também, a edição e a diagramação muito boas!

Fica a dica para vocês de um livro excelente!

Me siga no instagram! Lá eu coloco tudo que leio ou já li! https://www.instagram.com/oroscojuliane/

https://seuhistory.com/noticias/fotografias-intimas-que-hitler-quis-esconder-do-mundo

Anúncios

15 comentários

  1. Maravilha de resenha. E um livro realmente muito bom.
    Hitler foi o homem genioso e megalomaníaco que estava no momento histórico exato para conseguir o apoio popular necessário para dar vazão às suas pretensões maléficas.
    Mesmo tendo a sua análise psicológica apontando para uma tendência para o mal desde sua infância, ele não poderia fazer nada do que fez sozinho.
    Grande texto.
    Abraço.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Oi Juliane quero ler o livro (a capa é ótima) deve ser muito interessante,e sobre o BDSM tem a relação com o nazismo,pois já vi sites de mulheres dominadoras com vestimentas nazistas e o SM é uma fantasia que envolve sentimentos negativos,como violência humilhação submissão etc..Na Europa o BDSM é muito comum e não vejo nada de errado se for consentido.Sobre o NS foi uma das maiores insanidades coletivas da história.Abraços ..

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Bruno! É verdade, não há problemas, mas em relação ao Hitler, houve uma mudança de personalidade, de masoquista, ele se tornou sádico e acabou projetando o “eu” antigo, que ele odiava, nos judeus. Esse é um livro que com certeza vc vai gostar! Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s